Home » » CONTOS: Um sabado com pizza

CONTOS: Um sabado com pizza


























Meu nome é Cintia (fictício) tenho olhos verdes, cabelos longos loiros, 1.70 de altura, não sou como uma modelo, mas chamo atenção de certos homens inclusive de um amigo. Era aniversario do Paulo, um amigo de faculdade, e combinamos de chamar alguns amigos e fazer uma festinha na casa dele mesmo, chamamos apenas 5 amigos, pedimos pizzas compramos umas cervejas,dois litros de Uísque, locamos um filme e estava tudo pronto para nosso jantar entre amigos . Começaram todos a chegar, mas ainda faltava a Amanda, esperamos alguns minutos, Jaqueline, Pedro e Thiago já estavam morrendo de fome quando o interfone tocou, AMÉM, todos falaram juntos, Paulo vai até lá abrir o portão para Amanda entrar com um amigo, lindo ainda por cima, alto, loiro, usava uma calça jeans e uma camiseta que realçava seu tanquinho, entraram e cumprimentaram todos da mesa, mas quando veio me dar um beijo na bochecha, ele percebeu meus olhares, sentou ao meu lado e começamos a conversar me apresentei e logo comemos a pizza bebemos umas cervejas e depois, eu e Paulo servimos alguns petiscos com os Uísques. Eduardo e eu começamos a beber de mais, uma, duas, três, quatro doses e ainda mais um pouco até que já bêbada decidi parar de beber um pouco. Já não no meu estado normal eu e Eduardo já parecíamos dois amigos de infância ele me chamava de Si e eu o chamava de Dudu, começamos a conversar e resolvemos assistir o filme, Amanda já haviam ido embora só estávamos eu ele, Paulo,Pedro, Jaqueline e o Thiago, colocamos o filme era de romance, estávamos deitados todos juntos num colchão improvisado como o Dudu estava deitado ao meu lado começamos a fazer carinho um no outro, o filme inteiro foi assim, até nos beijarmos, ai que beijo delicioso, sua boca linda encostada na minha aquela pegada e uma puxada no cabelo me mostrava que ele queria mais do que isso. Depois do filme que todos já tinham dormido nós dois fomos lá fora eu fiz questão de ligar a Sauna e entramos lá dentro de roupa e tudo, eu sabia que lá dentro ninguém ia nós incomodar e muito menos nos escutar. Já lá dentro ele me prensou na parede, e me deu um beijo, naquele instante já estava louca de prazer, sua mão foi escorregando, abrindo cada botão da minha blusa com delicadeza, após ter aberto toda a minha blusa e me deixado apenas com o sutiã, se ajoelhou abriu o botão da minha calça e a puxou junto com a calcinha em questões de segundos me derrubou no chão abriu minhas pernas e chupou minha xaninha com gosto me deixava louca, enfiava aquela língua lá dentro me fazendo gozar pela primeira vez, com a sauna já quente ele tirou meu sutiã e começou a chupar meus peitos e fazia pressão com os dedos na minha xaninha me deixava louca cada vez mais eu o chamava de cachorro que ele era tarado, e ele me respondeu sou tarado por você, antes dele terminar as palavras eu fui para cima dele, tirei a camiseta, a calça e vi aquela beleza saindo com seus 19 centímetros todinhos pra mim, cai de boca só que não conseguia enfiar inteiro porque era muito grande, então ele me ajudou ia se movimentando com força e eu ia lambendo tudo, das bolas até a cabeça o deixando louco até que ele falou vou gozar, e eu ainda com ele na boca dei uma leve mordidinha na cabeça ele entendeu que podia gozar agora e foi aquele liquido gostoso descia e tirando rapidamente da boca coloquei em meus peitos ele enlouquecido gozou mais ainda. Ele me colocou deitada e começou a me beijar novamente descendo com a boca até minha buseta passando a língua para o meu cuzinho, huum, gemi aquela hora ele falou quero você todinha pra mim, e penetrou na minha xoxota aai, nós juntos fazíamos os movimentos um pouco agressivos eu nem acreditava que aquele cacete de 19cm entrou em mim, enlouquecida falei vou gozar, ele falou eu também, juntos numa sincronia perfeita gozamos juntos, nos exaustos ligamos o chuveiro fora da sauna e tomamos banho, eu sai primeiro entrei na sauna e fiquei de quatro quando ele abriu a porta ele me viu de quatro disse Ah sua tarada, sabia que não ia resistir e se ajoelhou, passou a língua e colocou a cabeça eu sentia arder mas o prazer era tanto que não conseguia nem sentir dor, quando ele colocou inteiro viu que eu sentia uma dor parou um pouco e quando viu que fiquei mais relaxada começou a movimentar e disse pra mim gemer e eu mais que depressa comecei a gemer muito, e ele já tinindo gozou dentro do meu cuzinho foi tão bom, já exaustos escutamos ágüem mexer na porta lá em cima e mais que depressa colocamos a roupa e pulamos na piscina, assustados vimos alguém chegando era o Paulo mandado a gente entrar que já era tarde e que a mãe dele não queria ninguém na piscina de madrugada, percebemos que ele não tinha percebido nada e aliviados fomos dormir esperando ansiosos para mais uma noite juntos.

FONTE:http://www.casadoscontos.com.br/texto/201007517
 
Support : Copyright © 2015. calcinhas deputinha - All Rights Reserved