Home » » CONTOS:O pai da amiga

CONTOS:O pai da amiga

































Quando morávamos em Santos, eu tinha uma amiga que se chamava Daniela. Freqüentávamos uma a casa da outra e estávamos sempre juntas. Ela era filha única e seu pai era um militar aposentado de 42 anos de idade, entretanto com um corpo atlético e definido, tórax largo, braços fortes e pernas grossas. Eu o admirava e sentia um certo tesão por ele, e ele, sempre dava umas olhadinhas maliciosas, nos meus seios e muitas vezes o flagrei olhando para minha bundinha. Certa vez fui à casa de Dani, e como de costume entrei pelos fundos, e me deparei com seu pai, estirado na beira da piscina, de sunga, tomando sol. Parei e fiquei admirando aquele homem, que apesar da idade me excitava e me deixava molhadinha. Fiquei vários minutos apreciando seu corpo, até que ele percebeu minha presença e eu, disfarçando como se estivesse chegando naquele momento, perguntei por Daniela. Ele se levantou e veio até perto de mim e disse que ela havia saído com a mãe e que só voltaria no final da tarde. Eu não resistia a tentação e olhava ele dos pés à cabeça, reparando bem no volume que estava dentro da sunga. Ele com certeza deve ter percebido, e talvez para que eu ficasse mais tempo, me ofereceu um copo de suco, insistindo que eu aceitasse e me convidou a sentar. Me sentei e comecei a beber o suco e ele se deitou em uma cadeira bem próxima à que eu estava. Ele puxava conversa e eu ia respondendo enquanto meus olhos insistiam em contemplar o volume que realçava na sunga dele. Eu estava excitada e já não conseguia disfarçar as olhadas que eu dava em seu membro e ele com certeza percebia, até que para minha surpresa ele se levantou e ficou de pé na minha frente e disse: Passa a mão. Eu o olhei nos olhos e ele repetiu: Passa a mão, sei que você esta com vontade de fazer isso, pode fazer, ninguém esta vendo e eu não vou contar a ninguém, pode passar a mão e mata sua vontade e sua curiosidade. Eu fiquei paralisada e ele então segurou minha mão e a levou até seu membro e me fez esfregar a mão, então eu segurei seu pau e o acariciei, senti que não estava duro, então imaginei se mole fazia aquele volume todo, duro então... Ele dizia Isso, segura, se quiser pode tirar minha sunga!. Então, sem pensar duas vezes, comecei a descer sua sunga e libertei seu pau. Como eu tinha sentido estava mole, mas mesmo daquele jeito era grande e grosso, proporcional ao seu corpo. Então ele disse: Segura ele, isso, já masturbou seu namorado? Isso, assim mesmo, me masturba gostoso, hummm, que mãozinha gostosa, isso continua, delicia, olha, ele esta crescendo, ta vendo o que você está fazendo? Que mais você já fez com seu namorado? Então levei minha boca até seu pau e comecei a beija-lo e a lambe-lo. Ele disse:Que menina safadinha, já chupou seu namorado? Então me mostra como você fez com ele! Eu abocanhei seu pau e engoli o máximo que pude e então comecei a chupa-lo. Ele dizia: Que delicia de boca, quentinha e gostosa, como chupa gostoso, deve ter chupado bastante já, isso, continua que ta uma delicia! Isso!!!. Depois ele pediu para que eu deixasse ele chupar meus peitinhos, tirou minha camiseta, tirou meu sutiens e começou a apalpar meus seios, dizendo: que peitinhos durinhos e gostosos, que tesão de gatinha você é, olha que delicia!. Então se abaixou e começou a chupa-los e mordisca-los deliciosamente. Depois perguntou se alguém já tinha chupado minha xaninha, e quando respondi que sim, ele disse que eu era mesmo uma safadinha e pediu para chupa-la. Quando eu disse que sim, ele desabotoou meu short e começou a desce-lo me deixando apenas de calcinha. Então me fez deitar na cadeira e voltou a chupar meus seios enquanto sua mão acariciava minha bucetinha. Aos poucos foi descendo minha calcinha e logo me deixou peladinha. Então ficou na minha frente, abriu minhas pernas levantando-as ao alto e disse: Que tesão de menina! Que xaninha mais tesuda! e caiu de boca nela. Ele me lambia e chupava deliciosamente e sua língua entrava na minha bucetinha me fazendo dar gemidos de tesão. Então ele soltou minhas pernas e começou a passar sua mão na minha bucetinha enquanto a chupava. Ele abria ela com os dedos e enfia a língua, foi me chupando até me fazer gozar. Depois perguntou se eu era virgem, quando respondi que não, ele perguntou:Você quer ser penetrada por mim? Quer que eu lhe mostre como faço uma gatinha gozar gostoso?. Respondi que sim, então ele se sentou na cadeira, me fez ficar em pé na sua frente com as pernas abertas e começou a me beijar e a passar sua mão na minha bucetinha. Seu dedo foi me tocando e foi entrando em mim enquanto ele me chupava o pescoço, queixo e seios. Minha bucetinha estava molhadinha, então ele me puxou para seu colo e disse: Vem cá, senta no meu colo e você vai ver que colinho gostoso é esse, você não vai querer sair dele mais”. Fiquei de frente para ele e abri minhas pernas, ficando uma de cada lado com ele entre elas, ele segurou o pau e me fez descer até encostar minha bucetinha no pau dele, com a outra mão segurou minha bundinha e me fez descer devagar, fazendo seu pau me penetrar. Senti ele me abrindo, parecia me rasgar, tão grosso era aquele cacete. Quando já tinha entrado metade, ele soltou o pau e agarrou meus seios, apalpando e acariciando ambos, enquanto dizia: Mexe menina, desce e sobe nesse caralho e faz ele entrar cada vez mais, isso, gostosa, delicia, tesão, como fode gostoso, e como agüenta um pau, vai, assim, continua, engole ele todinho, vai, sei que você agüenta. E assim, acabei gozando de novo, molhando o pau dele que acabou entrando todo em mim. Assim que acabei de gozar, abracei-me a ele com o pau dele inteiro dentro de mim, ele me segurou pelas coxas e se levantou comigo nos braços sem que seu pau saísse de dentro de mim, enquanto eu me segurava com os braços em volta do seu pescoço. Então ele me disse: vou te deixar louquinha agora! Segurou minha bundinha com ambas as mãos e começou a me levantar e descer no seu pau, quando me levantava seu pau saia quase todo de mim e ao descer entrava todinho. Já te fuderam assim? Hein? Tá gostando? Sente como meu pau te fode, como ele te abre, como ele arregaça sua bucetinha!. Eu gemia e me contorcia, e ele logo meteu a boca nos meus seios e os sugou deliciosamente, continuando com os movimentos. Eu segurava a cabeça dele nos meus seios forçando ele a me chupar. Gozei de novo, e mesmo quando terminei meu gozo ele continuo a me fuder daquele jeito. Quando ele sentiu que gozaria, ele tirou o pau de mim. Me colocou no chão e ficou me alisando todinha, então depois de alguns segundos disse: delicia de bucetinha, quase te enchi de porra, vem cá, me chupa mais um pouco. Me ajoelhei e comecei a chupá-lo sentindo meu gosto naquele pau todo melado. Ele segurou minha cabeça e enfia o pau, bem devagar, depois tirava e me fazia engoli-lo de novo. Então quando pensei que ele queria gozar, ele me pediu para ficar de quatro, olhei para ele, afinal eu estava exausta de tanto ser fodida, então ele insistiu dizendo só mais um pouquinho!”. Fiquei de quatro e ele logo segurou minha bundinha e empurrou seu pau pra dentro de mim, gritei de tesão e ele começou a me fuder deliciosamente. Eu estava molinha, quase não agüentava mais e pedia para ele parar. Mais um pouquinho, sente meu tesão, sente como estou louco por você, cadelinha gostosa, amei essa bucetinha, deliciosa, quentinha e apertadinha, olha como deixei ela toda abertinha, mais um pouquinho, sei que você agüenta, você é uma taradinha, agüentou meu pau todinho, como uma putinha safada, delicia, vou gozar, vem cá, abocanha meu pau, me chupa..., aaaaahhhhhhhhhhhhhhh! Abocanhei o pau dele e ele logo explodiu num gozo abundante enchendo minha boquinha de porra, que escorreu pelo meu queixo, caindo nos meus seios, onde eu esfregava a mão e me sujava com sua porra. Fiquei toda melada de porra, tamanha a quantidade que ele ejaculou, e fiquei chupando até o pau dele amolecer...... Ficamos deitamos, ele abraçado a mim, atrás de mim com uma mão nos meus seios e a outra alisando minha cintura, bundinha e coxa. Me senti realizada e exausta de tanto ser fodida.
 
Support : Copyright © 2015. calcinhas deputinha - All Rights Reserved