Home » » CONTOS QUE ME CONTAM

CONTOS QUE ME CONTAM




























Estava de férias, curtindo as praias do litoral do nordeste. Fui para casa de um amigo e la, além de mim, estavam alguns amigos e amigas e uma prima. Ela tem 19 anos e um corpo de dar inveja a qualquer mulher. Seio fartos, sua pele era morena, mas nem tanto. Sua bundinha empinadinha deixava qualquer homem a ponto da loucura, além das suas grandes coxas torneadas graças a academia e dieta, segundo ela. Todos curtiam felizes e contentes mais um semestre de aprovações em faculdade e concursos, mas eu estava vidrado na minha priminha gostosa e sempre que pudia eu iria ver ela. Nunca deixava de notar as suas pernas grossa e, todas as vezes que eu iria falar com ela, meu pau latejava de tesão. Um tesão incontrolável e indescritível por aquele corpo moreno e sensual. Não sei ao certo se ela notava alguma diferença no meu corpo, mas eu tinha um grande tesão em ficar olhando ela parada na beira mar, com aquele shortinho branco Jens quase mostrando a bundinha e deixando a mostra todas as curvas de suas pernas. Aconteceu em um sábado, quando todos estavam fora. Eu ainda estava dormindo quando vi que ela tinha saido da suite que ficava em nosso quarto (Que, aliás, ja estavam dormindo quase 10 pessoas nele). Pude notar, como sempre, aquele corpo moreno e escultural passando pela casa. Todos estavam arrumando - se para sair, mas eu iria ficar. A praia havia deixado - me preguiçoso e queria mais era dormir e curtir aquela cama macia e quente, pronta para me abraçar. Ela chegou em meu ouvidinho e disse para eu levantar pois todos estavam animados para sair. Eu retruquei dizendo que estava cansado e que hoje não era um bom dia e claramente deixei meu volume nas calças a vista. Ela notou por alguns momentos e um sorrisinho safado saiu do seu rosto. Ela disse que estava tudo bem e sairam para curtir a cidade, que nessa épocas fica realmente bonita. Não pude deixar de notar que ela ficou com uma cara muito safada ao olhar o volume que meu pau tinha na hora que fui falar com ela. Eu ja não aguentava mais de tesão por aquela mulher, precisava descarregar todas as tensões. Fui ao banheiro e la encontrei uma calcinha vermelha. Tinha em sua decoração rendas em toda a extensão da calcinha e uns lacinhos, que denunciavam um trabalho bem feito. Ela ainda estava quentinha e úmida com o líquido que saia da bucetinha da minha priminha gostosa. Não pude controlar o tesão e ja estava batendo uma punhetinha quando um barulho de porta assustou - me. Era ela, tinha esquecido o celular carregando dentro do banheiro. Tentei guardar o meu pinto, mas foi em vão. Ao chegar no banheiro ela viu toda a cena, sorriu e disse para todos que iriam para o centro da cidade que ela iria ficar comigo, fazendo compania. Todos os outros consentiram e ela, com um brilho safado nos olhos puxou o meu pinto para a sua boquinha, agachando no chão do banheiro ainda. Sua boca percorria toda a extensão do meu penis, lambendo devagar as curvas da cabeça dele enquanto ela massageava meu saco. Ficou nesse movimento por poucos minutos até colocar todo o meu pau em sua boquinha gostosinha. Fazia os mesmo movimentos que fazia para chupar um picolé, levando sua boquinha para toda a extensão do meu pênis e massageando meu saquinho enquanto eu ja metia a mão dentro da calcinha dela. Senti um líquido quente e úmido de prazer em minha mãos e fui massageando a vulva quente dela, extraindo alguns gemidinhos de prazer. Ela, tirando a sua sainha curtinha e branca, puxou - me para cama e abriu as penas, colocando minha cabeça bem na sua bocetinha quente e lisa. Fui chupando devagar, passando lentamente a minha língua entre as carnes de sua vagina úmida e quente e ouvia os urros de prazer que ela soltava constantemente. Minha língua percorreu por vários minutos a bocetinha dela, fazendo um gostoso movimento de vai-e-vem dentro dela que deixava a minha priminha gostosinha louca de tesão e doida para que eu metesse a piroquinha nela e foi o que fiz. Com o meu corpo em cima do corpinho safado de minha prima, peguei a cabeça do meu pau e fiquei massageando o clítoris da minha priminha enquando ela urrava de prazer e pedia mais igual a uma cadela safada e isso foi o que eu dei para ela. Devagar, fui metendo a minha rola em sua bucetinha e ela foi ficando deliciada de tesão e mais vontade de que eu metesse naquela bucetinha gostosa. Fiz uma penetração suave pois tinha medo de a machucar e perder toda a sensação gostosa de estar comendo a minha priminha e foi uma delícia. Pouco a pouco senti o corpo dela de encontro ao meu em um gostoso e clássico mamãe e papai que foi uma loucura total. Ficamos nessa posição até que ela gosou em meu pai, urrando de prazer. Decidi que deveriamos trocar de posição e pedi que ela ficasse de quatro enquanto eu lambia aquele cuzinho lindo e morendo, que piscava toda vez que minha língua passava entre ele. Sem pensar muito, enfiei meu pau novamente em sua bucetinha e em uma so estocada fiz a penetração e comecei um movimento frenético de vai-e-vem. Tocando as costas lisas e com alguns cabelinhos loiros, frutos de qualquer uma dessas descolorações, fui beijando seu pescocinho e percorrendo toda a minha boca perto de seu cabelo enquanto socava toda a minha piroca na bucetinha dela, fazendo ela urrar de tesão. Poucos minutos depois ela ja estava toda encharcada, pronta para gozar novamente em meu pauzão que ja latejava em busca de gozar também. Ao mesmo tempo, eu e ela entramos em um rítmo frenético e gozamos juntos, sentindo os líquidos de nossos corpos encontram - se em uma frenética dança de prazer e sedução. Depois de tudo isso, beijamo - nos carinhosamente e tomamos um banho juntos onde mais foda a aconteceu, mas esse relato eu deixo para outro dia, caros leitores. /Taradofogoso./
FONTE: http://www.contoseroticos.com.br/entrada.php
 
Support : Copyright © 2015. calcinhas deputinha - All Rights Reserved